Peregrinação Diocesana

Peregrinos Missionários com Maria

Caros peregrinos,

No próximo dia 14 (sábado) e 15 (domingo) de setembro de 2019 vamos em peregrinação diocesana ao Santuário Maria Mãe de África de Alua. Será a Décima Sexta (16ª) peregrinação diocesana de Nacala. É a celebração anual da festa de Virgem Santa Maria que reúne o bispo diocesano, padres e irmãs, homens e mulheres, jovens e adolescentes, crianças e velhinhos provenientes de todas as paróquias da diocese de Nacala e das dioceses vizinhas de Nampula e Pemba.

O tema de oração desta Décima Sexta peregrinação é: peregrinos missionários com Maria. Este tema é para despertar e chamar a atenção de que homens e mulheres de fé caminham e são enviados para anunciar a palavra da boa nova de Jesus Cristo com o inegável testemunho e exemplo da Virgem Santa Maria. Caminhar é bom mas também é difícil. Ser missionário é muito bom mas também é exigente. A vida da Virgem Santa Maria foi boa mas também cheia de incertezas e dúvidas, aflições, dias muito duros e difíceis ((Lc 1, 29. 34; 2, 35. 48.; Jo 19, 25).  Aquilo que acontece hoje de bom ou de mau nas vidas de homens e mulheres também aconteceu à Virgem Santa Maria. Por isso, Ela é exemplo de louvor a Deus nos alegres momentos e esperança em Deus nas situações de profunda aflição e dor.

Ora, as chuvas e os ventos fortes dos ciclones IDAI e KENNETH – com mais de seiscentas pessoas mortas e muitas casas destruídas – a visita do Papa Francisco em Moçambique, o Mês Missionário Extraordinário de Outubro e as Eleições Gerais em Moçambique são alguns acontecimentos para nos reunir em oração à volta da nossa Mãe do céu. Estes acontecimentos e outras situações particulares são importantes para contemplar Maria aos pés da cruz ou olhar o caminho de Maria com os homens e mulheres nos momentos bons e difíceis. Ao prepararmo-nos para a peregrinação, o nosso grande desejo deve ser o de olhar com fé como Maria caminhou nas situações complicadas e como nós queremos caminhar com ela nos momentos alegres ou duros que a vida nos impõe.

Uma mulher que sofre na cadeia, escreve uma carta e diz assim: “existem dias, circunstâncias, festas, em que viver dentro dos muros, longe dos afectos e dos filhos se tornam dias mais tristes do que de costume, mas também mais profundos pela reflexão, mais carregados de emoções e de vontades, para travar um diálogo com a comunidade externa, a fim de que dentro dos muros se possam construir sempre mais portas humanas que nos levem à sociedade, à família, aos filhos, à esperança. Assim, esta festa a Maria, mãe de Cristo, nos envolve na reflexão sobre nossa realidade de mulheres e mães” (cfr. Carlo M. Martini, a mulher do seu povo, ed. Loyola, S. Paulo, 1986, p. 9).

O sofrimento e a dor desta mulher são iguais ao sofrimento das mães que durante o ano aparecem neste Santuário para pedir a cura da doença dos seus filhos e suportar com força o peso da dor. Contudo, aquela mulher tem dor mas abre o coração ao exemplo de Maria, mãe de Cristo. Com o tema de peregrinos missionários com Maria, pensemos verdadeiramente naquilo que somos, no nosso caminho de homens e mulheres baptizados e sobretudo de mulheres que geraram filhos e vivem o chamamento de Deus na alegria e na dor. É Deus que fez Maria experimentar a dor da cruz de Cristo, e se entrarmos no coração e na dor de Maria entraremos no coração dos homens e mulheres, assumiremos as suas dimensões, participaremos dos seus sofrimentos de miséria, apesar de estarmos cheios de medo, pecados, doenças, fraquezas e defeitos.

A resposta de Maria ao anjo de Deus – “Eis aqui a serva do Senhor” (Lc 1, 38) é no âmbito da mulher escolhida e da missão no seu próprio povo. Esta entrega missionária de Maria não é apenas individual, mas é de todo o povo. “O Senhor está contigodiz o anjo a Marianão temas, Maria” (Lc, 1, 28-30). Maria vive a sua entrega em unidade com aquela do povo que se sente amado, que sabe ter sido escolhido, que experimenta sobre si a protecção de Deus. É isto que se pretende ser e fazer com Maria, mãe de Cristo.

De 04 a 06 de setembro de 2019 o Santo Padre, Papa Francisco vai visitar Moçambique. Desde já, devemos rezar a Deus e pedir para que a visita do Santo Padre ao nosso país, nos conceda a graça da paz, da reconciliação e da justiça social. O Papa é servo dos servos de Deus, vem ao nosso país como peregrino e missionário para participar nas alegrias e tristezas do povo mas sobretudo para confirmar-nos na coragem da fé e no amor de Cristo, Filho de Maria.

Tal como Maria dedica-se a louvar a Deus que é sua única força e dedica-se a todo o seu povo também o Papa Francisco vem como a alma, a voz, a expressão do destino do nosso povo. É isto que é preciso que cada peregrino seja e reze a Deus para si próprio, o seu povo e a humanidade. Maria vive a sua relação pessoal de dedicação a Deus, é expressão comum dos problemas do seu povo e assume a responsabilidade de tudo o que é humano.

Por isso, o tema da nossa peregrinação levanta três (3) perguntas para meditar e rezar. Eis as perguntas e orientações de respostas:

Como levo a minha vida? Nesta primeira pergunta trata-se de cada indivíduo caminhar sabendo que a vida e a escolha da pessoa, ou é de relação com Deus e de amor ao próximo, ou então é de escolha de não relação, não serviço e não obediência. E neste caso a minha vida é de imitações perigosas que até desviam o coração, o espírito e a sociedade. 

Como Maria, eu tenho a consciência de ser membro do meu povo? Nós somos peregrinos e povo de Deus, de Jesus e de Maria. Os cristãos não podem separar a sua identidade de povo de Deus e de Abraão, nosso pai na fé. O povo é de Deus e não pertence a grupos poderosos em dinheiro nem a humanos espertos e inteligentes. A Igreja católica tem vínculos com este povo e, certamente cheio de histórias dolorosas e de crises, mas que precisamente por isso deve ser o motivo da nossa atenção de anúncio, vigilância, oração e amor.

Por fim, qual é a minha consciência sobre os povos no mundo? Esta pergunta é para despertar a minha consciência missionária. Maria é a mulher no seu povo, isto é, aberta a todo o resto da humanidade. Sabemos que toda a actividade da Igreja católica nas paróquias e comunidades tem valor missionário, embora encontre sua expressão no tempo e espaço sublinhada na missão além-fronteiras. Cada cristão que vive a sua fé é um peregrino e missionário. Maria proclama a salvação a todos os povos e a acção missionária da Igreja fica mais inserida na história e na cultura.

Assim, todos nós somos peregrinos missionários com Maria.

Desde já, sejam bem-vindos ao Santuário Maria Mãe de África de Alua.

P. Inácio Lucas, Reitor do Santuário

PROGRAMA DA PEREGRINAÇÃO

1. Tema: Peregrinos missionários com Maria

O tema foi proposto de acordo com a celebração do mês missionário extraordinário e com a anunciada visita do Papa Francisco a Moçambique.

2. Estações de entrada no Santuário

A Estação é para iniciar a caminhada a pé para o Santuário. Cada paróquia ou grupo de peregrinos deve parar na Estação para rezar (Pai-nosso, dez (10) Ave-Maria e Glória…) e continuar a caminhada a pé até ao Santuário rezando o Terço e cânticos marianos. 

  • Capela de Muttahano (Alua, Mirrote, Namapa e PEMBA)
  • Capela de Naculue (Alua, Mirrote e Namapa)
  • Capela de Namidgi (Alua, Chipene e Namapa)
  • Capela de Napera (Alua, Carapira, Cavá/Memba, Ilha de Moç., Itoculo, Liúpo, Lunga, Matibane, Moginqual, Monapo, Mossuril, Mueria, Nacalas, Nacarôa, Namahaca, Netia, Quixaxe e NAMPULA

3. Horário e actividades

Sábado,

  • 15h00 – chegada às Estações e confissões no Santuário
  • 16h30 – Concentração e breves palavras de acolhimento aos peregrinos no Santuário
  • 17h00 – MISSA, presidida por S. Ex.cia Rev.ma D. Alberto Vera Aréjula OM, Bispo de Nacala

            –  Homilia: P. Lorenzo Barro (Chipene)

  • 18h30 –  Intervalo / jantar
  • 19h00 – Confissões
  • 20h30 – Terço Mariano (o movimento da Legião de Maria prepara e orienta o Terço e a procissão de velas)
  • 22h00-23h30 – Adoração ao Santíssimo: Zona Carapira, P. Eduardo, SVD, paróquia de S. Paulo prepara e orienta a adoração eucarística

Domingo,

  • 07h00 – MISSA, presidida por S. Ex.cia Rev.ma D. Alberto Vera Aréjula OM, Bispo de Nacala
  • 10h30 – Consagração à Virgem Santa Maria, Bênção final e despedida

4. Liturgia (canto e animação litúrgica)

Sábado,

Zona Eráti – MISSA

  • Paróquia de Alua (Com. de Santo Agostinho de Naculue) – canto, dança e animação
  • Paróquias de S. João de Deus de Alua (leit. Português), S. João Evangelista de Nacaroa (leit. Macua) e N. Senhora da Paz de Namapa (salmo responsorial)

Domingo,

  • MISSA – Coro diocesano interparoquial: canto, dança e animação
  • Paróquias de N. Senhora da Boa Viagem / Sé Catedral (leit. Português), S. João Baptista de Nacala (leit. Macua) e Santo Agostinho de Nacala (salmo responsorial)

5. Leituras

Sábado,

  • 1ª Leitura: Is 7, 10-14; 8, 10  (Masu Apwiya, p. 30; Lecionário Santoral, p. 420) “A Virgem conceberá
  • Sl 112 (113) 1-2. 3-4. 5-6. 7-8 (R.2): “Bendito seja o nome do Senhor para sempre
  • 2ª Leitura: Ef 1, 3-6. 11-12 (Masu Apwiya, p. 842; Lecionário Santoral, p. 435) “Deus escolheu-nos, em Cristo, antes da criação do mundo
  • Evangelho: Lc 1, 26-38 (Masu Apwiya, p. 392; Lecionário Santoral, p. 441) “Conceberás e darás à luz um Filho

Domingo,

  • 1ª Leitura: Miq 5, 1-4ª (Masu Apwiya, p. 589; Lecionário Santoral, p. 275) “Quando der à luz aquela que há-de ser mãe
  • Sl 12 (13) 6ab. 6cd. (R. Is. 61,10): “Exulto de alegria do Senhor
  • 2ª Leitura: Rm 8, 28-30 (Masu Apwiya, p. 256; Lecionário Santoral, p. 276) “Os que Deus de antemão conheceu, também os predestinou
  • Evangelho: Mt 1, 18-23 (Masu Apwiya, p. 32; Lecionário Santoral, 278) “O que nela se gerou é fruto do Espírito Santo

Nota:

  • Cada paróquia proclama duas leituras, isto é, 1ª e 2ª leitura em Português e 1ª e 2ª leitura em Macua.
  • Os peregrinos e fiéis interessados podem fazer as suas ofertas de valores em dinheiro para a manutenção do Santuário, conta BIM: 38 38 02 811, Paróquia de S. João de Deus de Alua
  • As paróquias ou movimentos de piedade, grupos organizados ou pessoas individuais, podem preparar e trazer ofertas particulares de alimentos, produtos de limpeza, pratos e colheres, lençóis, velas…